Um ex-gordinho não é um magro…

por Odon

Olá pessoal! Aqui estou eu, já com 17.2 kgs perdidos, mas com um bocado para perder ainda. Apesar de eu ainda não ter chegado no meu peso ideal, o caminho percorrido até aqui já me permitiu algumas conquistas tais como marcos importantes na balança, perda de roupas que ficaram largas e a saída da faixa da obesidade. Também tenho recebido muitos elogios e declarações de surpresa, principalmente das pessoas que não me viam desde meados de 2011, quando atingí meu maior peso. E isso já me traz uma enorme alegria! Sim, estou falando da parte estética, da aparência. Como já disse: vejo a perda de medidas como uma consequência, não como objetivo. Meu grande objetivo é encarar a alimentação de forma diferenciada, o que está se tornando realidade cada dia mais. Mas isso não quer dizer que eu ignore completamente o caráter estético do processo.

Por mais clichê que isso seja, por mais lavagem-cerebral-da-cultura-moderna que possa soar, estar mais magro, no caso de quem esteve muito gordo, melhora sim sua auto-estima. Não que seja preciso emagrecer para ser feliz. Mas curtir o novo visual é um ingrediente importante para manter-se motivado, sentir-se premiado, recompensado, abraçando ainda mais o desafio de alimentar-se de forma correta. Mas também é uma coisa que traz diversos benefícios práticos! Eu mesmo já ganhei de volta algumas bermudas e calças que estavam esquecidas no armário. Algumas blusas que não vestiam bem em mim voltaram para a seleção das mais usadas. Já pude ir numa loja de roupas e ter o prazer de facilmente encontrar calças número 48, já que numeração 50 ou superior era uma raridade. Enfim! Curtir esse momento é uma coisa gostosa, e merece sua devida atenção.

Mas caminhando para o título do post, é interessante perceber que o corpo de um ex-gordinho, ao emagrecer, não é exatamente igual ao corpo de um magro com o mesmo peso. Volta e meia eu comparo como estou hoje com o que já fui antes, pois tenho muito claro na minha cabeça alguns marcos que atravessei ganhando peso e agora estou atravessando perdendo peso. Noto que tenho gorduras localizadas em determinadas partes do corpo que não estavam alí anteriormente. Da mesma forma, tenho algumas estrias em locais do corpo que ganharam muito volume e aparentemente não foram projetados para isso, e essas são para sempre! E a barriguinha então? Como a sabedoria popular diz, parece ser a última a ir embora.

Mas por que estou falando disso? Estou triste? Estou decepcionado com os resultados? Não. Estou muito feliz! Mas aproveito a oportunidade para aconselhar a todos os que estão com o peso ideal ou com algum sobrepreso controlável, para que cuidem agora! Mantenham ou percam aquele pouco que passou, pois a coisa sempre pode ficar muito pior do que já está. E uma vez pior, voltar exatamente ao que era pode não ser só tocar a fita de trás pra frente. Existem marcas difíceis de perder, e algumas até impossíveis. Há os que naturalmente pensam em cirurgias plásticas, tratamentos caros em clínicas e outras alternativas hardcore para chegar no ideal estético imaginado. Pessoalmente prefiro lidar com esse processo de forma consciente e trabalhar com modelagem mental, pensando acima de tudo em ser feliz com o que tenho e com o que terei, sem criar ilusões.

Magricela com sombra de gordinhoAproveito minha lucidez sobre o processo para também lançar uma reflexão para os que estão tentando emagrecer. Os ganhos estéticos são uma consquência natural em um processo de perda do peso, mas não representam diretamente essa perda, nem a qualidade dos seus hábitos e o estado da sua saúde. Não se apegue a isso. Não crie regras ou expectativas rígidas quanto ao seus resultados aparentes. Isso pode inclusive criar uma paranóia, de modo que após atingir um peso ideal você venha a desenvolver síndromes como a bulimia e a anorexia. Sendo assim, não encare o processo de emagrecimento apenas como uma busca por medidas, e não pense que perder medidas é a mesma coisa que obter o corpo do modelo da TV. Sentir-se verdadeiramente bem com suas escolhas é o mais importante! Se escolher alimentar-se de forma diferente (logicamente de forma saudável), encontre meios para ver razão nisso sem precisar apostar num ideal de estética, uma vez que nem sempre você será recompensado da forma como imagina! Um ex-gordinho não é um magro…

Anúncios